Filhos Instantâneos

Mentalidade fértil. Se fosse definir os últimos meses em poucos palavras, seria assim que certamente o faria. Turbilhão e súbito nunca foram tão vívidos parceiros quanto agora, principalmente aos olhos investigativos que procuro manter abertos. E nesta missão sem anseios, é patente notar a riqueza mal distribuída que fazemos do pensar. Acumulamos de tudo, sem nada notar. Nossos pensamentos são como breves filhos, surgindo um na sequência do outro, que carregamos no seio da mente por prazos indeterminados. Alguns subsistem por milésimos de segundos, outros por segundos inteiros. Os menos fulgazes, por uma porção de minutos e os mais enraizados, aqueles que nascem com a cara do pai, podem permanecer ao nosso lado um tanto de horas, dias, meses ou vidas inteiras. É triste quando esses descendentes são mágoas ou rancores, e é divino quando são sublimes estados de prazer e ternura. Mas certamente nunca deixarão de ser dissolutos. O que isto nos revela, entretanto, é mais desafiador ainda. Pois se vemos nascer essa legião de proles no nosso espaço mental, isso significa compreender que “eles” foram concebidos em algum instante prévio também. E mais intrigante será concluir que; como praticamente nunca deixamos de vê-los nascer, consequentemente nunca os deixamos de fecundar e germinar num suposto óvulo mental. Em uma reflexão mais direta, filhos e sêmens da mente são a mesma coisa, são semente e fruto que experimentamos sem tempo a perceber. Como a confecção deste texto e a leitura posterior, este instante, por si só, é criativo. Mas nós só poderemos percebê-lo em completude quando provocarmos a consciência de nossa eterna criação. E estando neste dia longe do dia-a-dia de criar, produzir, realizar e experimentar as tarefas como mera execução, vogo a que possamos manter a consciência de que todo o contexto criado, produzido, realizado e experimentado é apenas um instante, dos milhares de “seres” que carregamos ao longo da jornada com mais ou menos atenção. Um momento vale muito e não notamos. Um filho é um momento e nem sempre temos tempo. Um momento é só um filho instantâneo e não percebemos. Pare agora e pelo menos receba em seu colo esse filho por um momento.

©Para todos os seres e em benefício deles, a todo instante!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s