O Encontro

Você pode marcar na agenda milhões de compromissos, mas não haverá encontro se o seu coração não soar verdadeiramente. Encontrar-se é como viver um espaço de fantasia e encantamento, de confiança e abertura, aquele tipo de sentimento que brota com sorriso no canto da boca e satisfação no peito. E digo encontrar-se mesmo, porque você pode também selecionar bilhões de seres na face da terra, usar o Facebook para aumentar as chances, mas não haverá nunca algo ou alguém a ser encontrado se não descobrir em si aquilo que deseja encontrar. Mas não há encontro também se, aquele que o encontra também não encontrou a si mesmo. Um encontro é mágico por isso, conecta zilhões de singulares instantes, pequenos encontros, num único sopro de alegria. E gera um estado, um momentum, que nada se difere do impulso, com uma quantidade de movimento, força, ímpeto e pique. Isso tá no dicionário, só faltava estar na vida.

Dedico este post a pessoas mágicas que conheci esta semana e que você também pode descobrir acessando Sônia, Cláudia e David. ©Que todos os seres possam se encontrar assim e gerar benefícios!

Anúncios

Esvazie seu copo

Hoje não escrevo para ensinar. Nem para analisar de forma simpless, o que possa achar complexo. Não falo do porrão ou de qualquer vaso que contenha algo. Não expresso dor nem alegria. Não preencho a alma de nenhum tipo de substância. Não quero ver o mundo colorido e nem me interessa se é preto no branco. Não estou chateado, nem ranzinza. Não tenho esperança nem medo. Não divido a morte da vida. Hoje estou isento até do imposto de renda. Hoje, diferente do que ouvi outro dia, não preciso de um mundo; pois o mundo está contido dentro do vazio. Hoje, só espero que você – seja quem for e qual motivo tenha para estar aqui – saiba entender destas palavras. Pois se o mundo está contido num vazio; só por este vazio, ele pode estar contido. Esvazie seu copo, esvazie seu corpo e do mundo todo será preenchido.

©Possam todos os seres se beneficiar.

Inóspito

Parei por aqui ao acaso, motivado por uma mensagem de dúvida.

Respondi de imediato a pergunta, e sem perceber já escrevia.

Senti uma tremenda vontade, de dizer a você o que penso.

Mas sei que o que sinto é segredo, para aqueles que nunca se enfrentam.

Se você é daqueles sem medo, que deseja de fato um abrigo;

Diga logo: eu me rendo!

E abra o peito sem mágoas, confessando ao mundo suas tréguas.

Não há léguas a serem percorridas, se o que corre em sua veia for teia.

©Possam todos os seres se beneficiar.

Logo que vier…

Palavras não me cabem mais, mesmo que o silêncio não me ocupe. Quando a resposta é sabida, não há questão que se faça. Mas saiba, então, que nada sabe. Pois saber alguma coisa no tudo que não visto é sentir sabor naquilo que não se prova. O que tem gosto, passa. O que textura, desgasta. E o que tem cheiro, evapora… logo que o próximo clique vier…

©Possam todos os seres se beneficiar.

Deveria

Os ricos e bem afortunados deveriam ser os mais generosos.

Aqueles que vivem nas metrópoles deveriam ter a mente mais livre.

Os que lutam contra injustiças deveriam ser aqueles que mais aderem a causas.

Quem trabalha duro de sol a pino deveria ganhar mais do que quem propina.

Quem compra muito sem precisar deveria reciclar mais sem recear.

Os que comem em demasiado deveriam ofertar mais aos necessitados.

Quem não divide nem a esperança deveria ser o mais solidário.

Quem tem carro possante deveria dar sempre mais passagem.

E os que têm mais conhecimento deveriam ser os menos arrogantes.

O que se pretende para o futuro deveria ser visto no passado.

O futuro do pretérito deveria ter sido revisto na língua.

A título de decisões mais acertadas que devemos pensar.

©Possam todos os seres se beneficiar.

Deleite Sutil

Que o tempo tenha nos tirado a infância, temos que aceitar. Que o trabalho tenha nos limado a graça, podemos compreender. Que a mídia tenha nos acelerado a história, só podemos relembrar. Que a tecnologia tenha nos apagado a tinta, também é de se entender. Que a vida tenha se tornada dura, é simples deduzir. Que a comida tenha se tornado plástica, é fácil verificar. Que as guerras tenham nos ferido a alma, é lógico pensar. Que os dias tenham se perdido em nada, é claro perceber. Que a noite tenha se transformado em medo, é triste descobrir. Que o charme tenha se rendido ao podre, é sincero constatar. Que a felicidade tenha se deformado em compras, é rancoroso admitir. Que o amor tenha se vendido às marcas, é doloroso permitir. Que a vida tenha se passado insípida, é nítido comprovar. Mas que tenhamos nos deixados frios e grosseiros, não é passível tolerar. Pois, se alguma coisa ainda devemos ponderar é saber que a sutileza é uma verdade que podemos retomar. Que a seda se tece como o texto se entrelaça e o tecido se fabrica como a mente se processa. Que a generosidade tenha se feito notar, é desse deleite que a gente precisa praticar.

©Possam todos os seres se beneficiar.

2012 e o Fim do Mundo

É o fim do mundo pensarmos no fim do mundo quando avaliamos pouco sobre o mundo e sobre o seu fim.

Para mim, por exemplo, é o fim do mundo celebrarmos a virada do ano sem lembrar que milhares de seres humanos não tem nem o que comer.

É o fim do mundo também essa coisa chamada economia global, que tenta ser sustentável sem ao menos descobrir como é possível se equilibrar sem reduzir as injustiças sociais.

Outro fim do mundo é, em pleno 2012, aceitarmos guerras e invasões como a China pratica há mais de meio século no Tibete e outros países na Ásia.

É o fim do mundo a desorientação do oriente médio, o monopólio da indústria farmacêutica e o abuso da oferta de crédito mundo afora.

E é o fim do mundo a mídia viver de tragédias, crises e sofrimentos.

É o fim do mundo os impostos nacionais, o inexplicável custo dos veículos no Brasil e a postura passiva do brasileiro ao longo da história, que ainda se repete nos dias de hoje.

Mas é o fim do mundo também reclamar sem fazer, pedir sem oferecer, querer sem trabalhar, sofrer sem rezar, amar sem cuidar.

E é o fim do mundo não saber que a vida é valiosa para qualquer um, até para a formiguinha que atacou sua ceia de Natal.

Enfim, é o fim do mundo usar o facebook só para se mostrar e não para compartilhar. E ter meios mentais ou financeiros de colaborar, mas não transformar.

É o fim do mundo não parar para pensar, refletir sobre o que mudar e de fato implementar.

O fim do mundo é, portanto, especular sobre algo que você já sabe a resposta e, mesmo assim, continuar sua vida sem se importar.

Sim, um dia o seu mundo vai acabar, mas até lá você pode ser benéfico a um tanto de gente que precisa de outro fim para seu mundo.

Resta saber se você está a fim de outro mundo já em 2012.

©Possam todos os seres se beneficiar.