“Capitalizar as perdas é fazer um investimento.”

Citação da minha grande amiga Regina Helou, nos idos de março de 2006. Uma ótima reflexão para a crise mundial que assola mentes e corações especuladores. Há um índice de solidez espiritual nesta frase que pode ajustar os gráficos da humanidade.

©Que todos os seres possam se beneficiar.

Anúncios

Os pregões da bolsa e a não morte de Deus

O ano nem começou de verdade e os pregões da bolsa já entraram 2009 com otimismo total. São esperanças de investidores em New York com a nova administração de Obama. As notícias revelam, “o índice Dow Jones subiu quase 260 pontos e fechou acima da importante marca psicológica dos 9 mil pontos.” E continua… “O Nasdaq avançou 55,18 pontos, o S&P-500 avançou 28,55 pontos, enquanto o NYSE Composite subiu 158,68…” De fato, o que não subiu na virada do ano foi a percepção de quanta tolice se vê na economia mundial. Será que é tão difícil compreender que a especulação só leva estúpidos ao poder? Não estou dizendo que o novo presidente americano o seja. Mas do outro lado, milhares de pregos, literalmente de cabeça-chata, correm em busca de emprego, depois de tantas marteladas que receberam na vida dos mecanismos falíveis da economia mundial. Enfim, enquanto os pregões das bolsas – sim, esta gente tola –, ficam perdendo seu tempo de vida de forma irresoluta; pego minha bolsa para colocar as coisas que viajarão de férias comigo. A que merece destaque é a nova obra de Amit Goswami: “Deus não está morto.” Evidências científicas da existência divina que discutirei em breve aqui, em meados de janeiro.

©Que todos os seres, pregos ou não, possam se beneficiar.