One Note Samba

Não foi hoje, mas adorei a surpresa de receber na caixa do gmail a música “O Samba da Minha Terra”, gravado pela encantadora voz da portuguesa Teresa Salgueiro. Fato que me fez recordar não só as incríveis letras do samba, como “O Samba Taí”, do álbum “Samba Esporte Fino” do Seu Jorge ou o “Jovem Samba” de outro Jorge, o Ben Jor, num clássico para poucos. Mas falar de brasileiros cantando samba é fácil. E ouvir a Teresa, com um sotaque sutil, me fez viajar no samba assinado por gringos que admiram nossas origens. Ah que delícia é curtir, por exemplo, “Só Danço Samba” na voz de Ella Fitzgerald, ou “La Chica de Ipanema” no espanhol de Jarabe de Palo, ou até, in english, “One Note Samba”, mixado com um smoothjazz pela incrível dupla canadense Bet.e & Stef. Não vou colocar os links. Quem quiser uma supresa pelo e-mail é só deixar uma mensagem.

®Resposta a um e-mail que não pedia resposta. 😉

Marisa, Patricia e Adele

vozes-femininas

Samba, Jazz e POP. Quando o objetivo musical é mergulhar na cultura e não se aproveitar dela, vemos nascer grandes obras musicais. A primeira da lista é a nossa querida Marisa Monte. Como o Casseta & Planeta já escrevia em seu velho magazine, a musa Marisa. Seu novo trabalho, o documentário “Infinito ao meu redor”, é uma coletânea de dois discos que nasceram juntos: “Infinito particular” e “Universo ao meu redor”. Curti os dois. Mas o segundo, mais focado no samba, merece uma atenção especial. Já digo o porque, depois de falar sobre a Patricia. Nome bem brasuca, mas sobrenome gringo, Lowe, que a torna “desconhecida”. Vale contar um pouco da sua história. Nascida e criada na Inglaterra, filha de pais naturais da ilha de Barbados, um pontinho perdido no Atlântico próximo a Porto Rico, ela já foi tudo. Voz secundária, fez trilha para filmes, rádio e shows em teatros, até lançar seu primeiro albúm, Finally (finalmente). O título até parece um desabafo. Ainda bem. Com um jazz puro, limpo, clássico, smooth e com personalidade de uma Nina Simone, Diana Krall ou Norma Winstone, que aliás parece ter sido sua singer teacher (professora de canto), essa preciosidade musical tem até trilha do Prince [When doves cry], com arranjo novo e bastante sedutor. O que ela tem a ver com a Marisa? Bom, deixa falar agora da Adele. Outra inglesinha, um fenômeno da internet. Seu álbum de estréia com o sugestivo título “19” – obrigado a galera do JazzMasters pelas informações – arrematou o Brit Awards 2008 sem ao menos gravar um disco. Sua voz POP com um groove incrível tem um quê de Amy Winehouse, com menos pigarro. Para curtir é só acessar sua página no Myspace. Enfim, o que a Adele tem a ver com a Marisa e com a Patricia? Bom, isso é uma coisa que você deve descobrir pelas músicas. A dica é simpless, procure as raízes do Samba, do Jazz e do POP e encontrará deliciosas surpresas. Porque eu já fiz uma fusão disso tudo!

®No meio de um monte de interferências, mas certo que deveria mixar já.