Tranqüilizante

van-gogh

Colapso os pensamentos que brotam na minha mente sem notar. Como uma respiração que não cessa sem esforço, vejo estados, sentimentos não sólidos enrijecerem. Já não há mais nuvens em movimento. Num instante, paredes se formam e fecham a capacidade dos ventos sutis internos soprarem para fora, reconhecendo sua relação com o universo. Automaticamente, tudo o que observo vira fato. Situações, pessoas e coisas, tudo é concreto. Ativo a memória, busco a intimidade perdida com a sabedoria e, como mágica, os tijolos se desfazem tal qual gelatina ao calor, liberando novamente a percepção da realidade absoluta. Não sei por quanto tempo essa sanfona irá tocar na minha vida. As vezes duvido da minha capacidade de manter o estado pleno para sempre. Não sei quanto começou a ser trilhado, nem o destino que lhe está reservado. Mas uma serenidade inexplicável toma conta do meu ser, uma espécie de amigo sábio me diz para apenas manter a qualidade da mente íntegra, viva no presente. A natureza irá trazer o que for preciso. Só aspire que a ignorância vigente nunca persista, nem se sobreponha à mente tranqüila.

©Que todos os seres possam se beneficiar.

Anúncios