“A vida é muito curta para faltas de esclarecimento.”

Os conflitos que vivemos no nosso dia-a-dia, não são nada mais do que a expressão da nossa mente que será tocada no momento da morte. Deixar de esclarecer os mal-entendidos que vivemos hoje é deixar que o mesmo estado retorne futuramente, no bardo do estado intermediário ou em outra vida. No fundo, estamos bem e felizes, mas é só aparecer o espelho do carma negativo que somos engolfados pela sua força. A mente alerta evita isso, sermos novamente levados pelos vícios e velhos hábitos da mente.

©Que todos os seres possam se beneficiar.

Para quem quiser ouvir

Nos tornamos o tempo que passamos. Se ordinário, ordinário ficamos. Se medíocre, medíocre pensamos. Uma espécie de calabouço construímos e nos aprisionamos a um padrão de estupidez com grilhões que só se rompem com paciência e atenção. A questão não é força de vontade, mas garras de hábitos que são formadas sem intenção qualquer. Apenas a atração pelo conhecido, pela repetição sem motivo é o que surge, do nada. Vencê-la, após vidas de sofrimento e ignorância é uma tarefa árdua que resulta em uma serenidade límpida que não responde nenhuma questão. Mas afaga o desejo insano de dar sentido ao inexplicável. Realizar isto é calar perante a fala inexpressiva. De um território que não é inexplorável.

®Não há registro para o que se cria sem querer algo em troca. Esse texto é “inregistrável”.